Fome fisiológica x Fome emocional?

Você já teve a experiência de abrir a geladeira, ficar ali olhando, procurando por minutos e não “acha nada para comer” apesar da geladeira estar cheia de opções?   

Muitas pessoas passam por esta experiência, geralmente mais de uma vez por dia! Não é que estejam com a barriga vazia, isso não é uma fome real, é a chamada fome emocional.

Se você também já vivenciou isso, fique calma, isso é bem comum! Os especialistas dizem que as pessoas se nutrem de alimentos e sentimentos!

A comida tem uma representação simbólica muito forte, é pela comida que preenchemos vários vazios da nossa vida. Por cultura sempre que as pessoas se reúnem a comida é um fator importante, compartilhamos em momentos festivos, mas também para demonstrar apoio e amorosidade em momentos difíceis. Desse modo, dependendo do estado emocional das pessoas, as escolhas podem não ser tão benéficas para o organismo. Pois a ansiedade e o estresse acabam aumentando alguns hormônios que estão relacionados ao apetite, o cortisol eleva o hormônio grelina, que tem relação direta com o apetite.

grelina é um hormônio produzido principalmente pelo estômago e intestino, que é responsável por estimular a sensação de fome quando o estômago está vazio.

O normal é comermos por conta de uma necessidade física. Porém, as vezes buscamos algum alimento específico, movidos pela fome emocional. Geralmente é uma necessidade baseada no meio ambiente, em nossa relação com as pessoas do nosso convívio, de níveis de estresse e outros fatores, que fazem buscar na comida, o aconchego!

Por isso é importante entender muito bem, quais são os tipos de fome que existem, para que você saiba fazer a distinção entre elas, quanto mais claro ficar a informação, mais fácil será de lidar com suas emoções e com as necessidades do seu organismo.

Vamos falar sobre a FOME FÍSICA e a FOME EMOCIONAL.

O que é fome física?

A fome física é o tipo de fome que associamos a necessidade do organismo, está sujeita a efeitos fisiológicos, é a forma de suprir a falta de energia do nosso corpo com alimentos nutritivos e variados para realizar suas funções vitais. A fome física pode ser sentida como dor no estômago, dor de cabeça, tremor, sensação ácida na garganta, falta de concentração, irritação, tontura, ou a combinação destas sensações que o corpo pode apresentar.

O que é fome emocional?

A fome emocional é o desejo ou anseio por comida gerado por uma emoção que estamos experimentando. A fome emocional não está ligada ao estômago, mas sim na busca pelo alívio instantâneo para o que estamos sentindo. Geralmente pensamos na fome emocional como uma resposta a uma emoção negativa ou desagradável, quando se está triste, irritada, ansiosa, estressada  ou até entediada. Mas esse tipo de fome também pode acontecer em resposta a emoções positivas ou agradáveis, como empolgação e alegria, buscamos na comida as respostas para aquilo que estamos sentindo.

Vejamos da seguinte forma!

A fome emocional faz com que as pessoas descontem na comida, seus sentimentos de qualquer natureza.

Se estamos felizes, festejamos com um jantar!

Se estamos tristes, podemos comer algo que nos tire a tristeza, que nos lembre coisas boas, que traga memórias da comidinha da infância e que nos traga aconchego.

Essas associações inconscientes nos levam a um atalho fácil e prazeroso de lidar com nossas emoções, mas que podem gerar alguns problemas de saúde no futuro, ou levar ao ganho de peso que é uma das consequências mais rápidas e na maioria dos casos, diretamente ligada a fome emocional.  


Como identificar entre a fome física e fome emocional?

Vamos listar alguns pontos que diferenciam a fome física da fome emocional.

FOME FÍSICA

  • Tem aumento gradual, sendo possível esperar para fazer uma refeição e comer.
  • Se você estiver se distraindo com outras atividades, a fome permanece.
  • Consegue parar de comer quando sente-se saciado.
  • Após comer tem a sensação de prazer e bem estar.

FOME EMOCIONAL

  • A fome surge do nada, sente uma vontade de comer algo específico, sendo geralmente doces, que é um alimento calórico.
  • As sensações físicas surgem de repente.
  • Comer apenas ajuda temporariamente.
  • Você pode se sentir insatisfeito, embora esteja fisicamente cheio.

A fome emocional faz com que as pessoas descontem na comida, seus sentimentos de qualquer natureza.

E agora? Como evitar a fome emocional? 

O que precisa ser feito é entender seus sentimentos, não deixar que eles ajam sobre você sem entender o que está enfrentando. Muitas pessoas caem neste ciclo de comer para melhorar o que estão sentindo por falta de conversar ou expressar-se mais com seus amigos e familiares.

Seu primeiro passo é se colocar num estado de presença (você com você) e identificar quando está com fome emocional. Depois entender o que te coloca nesse estado.

Passo seguinte trabalhar suas emoções, falar a respeito e procurar relaxar, para que não busque na comida a sua válvula de escape, que muitas vezes é inconsciente.

E o que fazer para relaxar?

Saia para uma boa conversa com uma amiga, ouça sua música preferida, tire um cochilo, leia um bom livro, tome um bom chá, use ervas aromáticas e óleos essenciais, medite, interaja com sua família, o importante é se distrair!

Até mais!

Conte-nos o que achou desta matéria.